quarta-feira, 12 de abril de 2017

CHAMBARELLI APRESENTA PEDIDO DE CRIAÇÃO DE UMA MATERNIDADE NO HOSPITAL MUNICIPAL

A CÂMARA DE VEREADORES de Paracambi encontra-se completamente engajada na questão da saúde e sua relação com a população do município. Exemplo disso foi a sessão do dia 7 de março passado, onde vários vereadores fizeram uso da tribuna reclamando do atendimento que a Casa de Saúde Nossa Senhora Aparecida presta a população. Na oportunidade várias questões foram levantadas e propostas foram apresentadas no contexto de uma solução em torno do caso, nesse sentido, destacou-se a necessidade da existência de maternidade pública em Paracambi.
Foi visando atender ao clamor popular que na sessão do último dia 11 de abril o vereador Chambarelli apresentou um Pedido de Providências para que a Secretaria Municipal de Saúde coloque em seu cronograma a instalação de uma maternidade no hospital municipal Dr. Adalberto da Graça, situado no Bairro de Lages. A ideia inicial é que o funcionamento desta unidade de atendimento a gestante fosse estabelecida na área equivalente ao segundo andar do prédio daquele hospital.
“É preciso recuperar o que perdemos com o fechamento de uma maternidade em Paracambi. Éramos autossuficientes e as mulheres contavam com comodidade, tranquilidade e segurança para ter os seus filhos. Era natural essa ocorrência de ser mãe no município e hoje se transformou em uma grande preocupação, onde a locomoção, atendimento e tratamento das parturientes não ocorrem da mesma forma simples como antigamente. Esse quadro precisa ser revisto e serei incansável nessa luta!” Afirma o vereador Chambarelli.

segunda-feira, 10 de abril de 2017

DEPOIS DA VITÓRIA UMA PERGUNTA FICA NO AR

ERIVELTON COSTA (foto) foi eleito presidente do Partido dos Trabalhadores de Paracambi no último dia 09 de abril, desbancando Levi Martins seu adversário. O resultado apresentado pelas urnas indicaram 275 votos a favor de Erivelton e 189 para Levi. O ganhador ficou com 59,27% dos votos válidos em um universo composto por 472 eleitores
Os dois concorrentes são figuras históricas do PT em Paracambi. Erivelton seguindo uma linha petista conservadora e o Levi uma conduta que na prática se revelou mais diversificada e perenemente aberta às negociações - segundo as marcas do seu passado quando foi presidente do partido. Sua última grande atuação no município foi ao lado do então prefeito Tarciso Pessoa.
Foi fácil seguir a campanha do Erivelton Costa pela forma como essa foi colocada publicamente e, principalmente, nas redes sociais. Foi uma campanha que extravasou o âmbito do partido e acabou atingindo todo o público em geral entre partidários, políticos, antipolíticos, curiosos e até os que torciam contra. Estes últimos na figura dos concorrentes eleitorais e outros. Já a campanha do Levi Martins foi menos visível, portanto, sua atuação eleitoral deve ter sido mais restrita.
Ocorre que forças externas parecem ter atuado contra a eleição do Erivelton. Teria sido mais uma vez o poder econômico e o possível envolvimento de terceiros interessados na derrota de seu grupo? Se for assim, como, porque e através de quem poderiam ter chegado a esse ponto contra o Erivelton? Essa pergunta fica no ar! As evidências foram constatadas no decorrer da movimentação dos eleitores nas “seções eleitorais do PT” no CIEP 152 - Garrincha Alegria do Povo e Câmara Municipal.
Nas proximidades destes locais foram detectadas as presenças de personagens notoriamente pertencentes a um grupo político (e poderes) que se opõem politicamente ao Partido dos Trabalhadores. Por algum motivo estavam fotografando os eleitores e cenário eleitoral e outros tentando influenciar com opiniões ou fazer reparos públicos (direta ou indiretamente) – que de alguma forma alcançavam o candidato Erivelton Costa. Deve-se entender que não estavam visando o partido, mas sim, o Erivelton? O que podemos entender neste contexto?
Quem se beneficiaria com isso na eleição do dia 9 de abril?

quarta-feira, 29 de março de 2017

LAGES da estação a Praça do Miro

O futuro comercial e econômico de Paracambi mora em lages?
HÁ VINTE CINCO anos escrevi no jornal A Gazeta Fluminense (hoje extinto) um extenso artigo em que projetava que o Bairro de Lages, o maior do município, se tornaria no futuro o maior centro comercial da cidade. A época citei que tais mudanças teriam seu eixo a partir da Rua Bezerra de Menezes em seu prolongamento da estação ferroviária até a Praça do Miro. Acrescentei também que a secular sede do município (Centro) seria muito prejudicada com o decorrer do tempo por força das mudanças climáticas, que por aquela época já se comentava e constatava.
Exemplo disso foi a grande enchente de dezembro de 2001 (véspera de natal), caótica para os moradores e comércio do Centro. Após, em menores proporções, outras se repetiram com efeitos assustadores e causando prejuízos, principalmente, ao comércio localizado naquela região.
Acontece que o Centro está situado em um vale profundo, onde as águas do entorno nos períodos de precipitação escorrem todas para uma mesma e fatídica direção: a sede municipal de Paracambi. Para complicar mais ainda, o Rio dos Macacos passa exatamente no mesmo local em sua área de grande concentração urbana e mais importante zona comercial. Ressalta-se que este rio recolhe em seu trajeto não só águas da bacia hidrográfica paracambiense, como também do município de Paulo de Frontin.
Resumindo! A posição topográfica da sede municipal de Paracambi contribui para afetar o local no sentido do aumento do fluxo das águas que obrigatoriamente circulam por alí nessa era de mudanças climáticas, onde as tempestades são mais intensas. Portanto, o grande vilão do Centro são as mudanças na natureza – processo iniciado no final do século passado e em andamento no atual.
Quanto a Lages, o bairro foi beneficiado pela sua melhor posição no âmbito do escoamento das águas (principalmente a Rua Bezerra de Menezes), pela arquitetura e distribuição de suas ruas, pelas vias integradas de transporte rodoviário e ferroviário e pelo grande número de habitantes.
Hoje, exatamente no trecho por mim citado há vinte cinco anos, Rua Bezerra de Menezes até a Praça do Miro, as mudanças já ocorreram e continuam a ocorrer - como previsto em 1992.
Como um todo, Lages tem neste momento (a grosso modo) tantas farmácias/drogarias quanto o Centro, uma grande e moderna academia de ginástica, seguidas por outras médias e menores (além de pilates), dezenas de lojas de roupas, “banco 24 horas”, óticas, a mais moderna loteria esportiva da região, sede bancária, supermercados (no momento em que escrevia esse texto mais um foi inaugurado), vários consultórios dentários particulares, restaurantes, padarias e outras especialidades comerciais.
Boa parte da população não sai de Lages para comprar no Centro.
E tudo começou na Bezerra de Menezes da estação ferroviária a Praça do Miro.